Alimento para o pensamento

04/01/2015 14:46

Tente o seguinte: coloque uma garfada de comida na boca. Não importa o que a comida é, mas torne-a algo que você ama. Vamos dizer que é essa primeira mordida de um ravióli muito gostoso…

 

Agora vem a parte mais difícil. Coloque o garfo na boca novamente. Isto poderia ser muito mais desafiador do que você imagina, pois a primeira mordida foi muito boa e outra acena imediatamente com muita vontade.… Você está com fome...

 

O experimento de hoje ao comer, envolve a consciência em resistir à sua refeição. Deixar o garfo em cima da mesa. Mastigar devagar. Parar de falar. Sintonizar-se com a textura da massa, o sabor do queijo, a cor brilhante do molho na travessa, o aroma  subindo.

Se continuar dessa maneira durante todo tempo da sua refeição, você vai experimentar os prazeres de uma prática conhecida como alimentação consciente(mindful eating)

O conceito de mindful eating tem raízes nos ensinamentos budistas. Assim como existem formas de meditação que envolve a posição sentada, algumas técnicas de meditação andando e outras com foco apenas na respiração, muitos professores budistas incentivam seus alunos a meditar com alimentos, expandindo a consciência, prestando muita atenção para a sensação e finalidade de cada pedaço de alimento que você ingere. Em um exercício comum, a um estudante é dado três passas, ou uma tangerina, para passar 10 ou 20 minutos olhando,  segurando e pacientemente mastigando.

Ultimamente, porém, tais experimentos de atenção começaram a infiltrar-se em diversas áreas da Escola de Saúde Pública de Harvard para o campus da California. Aos olhos de alguns especialistas, o que parece ser o mais simples dos atos, comer devagar e realmente saboreando cada mordida, pode ser o remédio para diversas pessoas que tem distúrbios alimentares causados pela loucura de comer rapidamente sem observar o que esta saboreando.

Alimentação consciente não é uma dieta. É uma conduta pessoal de como experimentar alimentos mais intensamente, especialmente o prazer que eles nos trazem. 

"Isso é anti-dieta", disse o Dr. Jan Chozen Bays , um pediatra e professor de meditação em Oregon e autor do livro: Comer Consciente: O guia para descobrir um relacionamento saudável e alegre com a comida. "Eu acho que o problema fundamental é que estamos inconscientes quando comemos. "

Os últimos anos têm trazido uma série de livros, blogs e vídeos sobre alimentação consciente. A nutricionista de Harvard, Dr. Lilian Cheung , dedicou-se a estudar os seus benefícios de forma apaixonada  e incentiva empresas e prestadores de serviços na área de saúde para tentar o mindful eating.

"O ritmo de vida está se tornando mais e mais rápido, então nós realmente não temos a mesma consciência e a mesma capacidade de verificar o que comemos", disse o Dr. Cheung, que em parceria com o monge budista vietnamita Thich Nhat Hanh , escreveu o livro:  Saborear: Ciente de Comer, Cientes da Vida. "É por isso que comer conscientemente está se tornando mais importante. Precisamos voltar a nós mesmos e dizer: 'Será que meu corpo precisa disso? Por que eu estou comendo isso? Será que é só porque eu estou tão triste e estressado? "

 

Para muitas pessoas, comer rápido significa comer mais. Alimentação consciente serve para não nos empurrar para além daquilo que nossa capacidade estomacal quer e deve ingerir.

 

Matéria do New York Times sobre Mindful Eating

 

https://www.nytimes.com/2012/02/08/dining/mindful-eating-as-food-for-thought.html?pagewanted=all&_r=1&